22 de novembro de 2008

.

Levou-me o amor para as areias no deserto
Para as suas noites gélidas e mágicas
Onde não há silêncios nem imagens trágicas
E a longa distância se vai tornando perto.

E na tarde, enquanto o sol se esconde
Por detrás de dunas tão insinuantes
É fogo que se vê nesses instantes
Que outra fogueira ao sol-pôr não há aonde.

Deleita quem se atreve na magia
E aprende o caminho das areias
As palavras calam-se no correr das veias
Perante tamanha explosão que prometia.

Não há um mar que possa sufocar
A visão de tão belo desmaio
Assim, por ele de joelhos caio
Com aquelas cores de fogo no olhar.


.

9 comentários:

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Verso sublimes os teus!
Fez de meu céu azul!
beijos e borboleteios

Maria disse...

Sim, pode ser um belo desmaio...

Um beijo, em azul

Sei que existes disse...

O amor é assim...
Boas fotos.
Beijocas grandes

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Apenas eu disse...

Porque a alma é fogo!

beijos Azulinha.

Fernanda disse...

E o deserto é lindo de morrer...
Falo assim, porque por lá já andei...
Até miragens vi.:))
Dificil é acreditar que não ERA o mar que ali estava...
As pregas na areia...o sol em cima dela,...a brisa que não sopra,... os olhos que não abrem...
Enfim,...o infinito do olhar...

Um bom fim de semana

AnaMar disse...

Belo poema.
Que me fez regressar ao deserto.Onde deixei parte de mim.

hfm disse...

O deserto e a sede do deserto.

em azul disse...

Brunella
O deserto é mágico e o seu céu muito mais azul...

Maria
Já assististe ao pôr-do-sol no deserto?
Vamos ver juntas?

Sei que existes
O amor é fogo...

MPereira
É o fogo que se sente no deserto.

Apenas eu
Se é, Bonequinha!

Fernanda
Magia pura...

AnaMar
Obrigada. Tens que voltar para "buscar"...

hmf
... diz quem já lá esteve...


Abraços quentes ao pôr-do-sol
em azul

Seguidores

Arquivo