29 de setembro de 2008

.

Olhei todo aquele tapete e pensei em nós. Folhas e mais folhas a chamarem-nos para o seu aconchego. Era o nosso parque. Era o nosso cantinho. Seríamos nós. Só as folhas haviam mudados. Baixinho... apeteceu-me chamar o teu nome e esperar que me ouvisses. As letras ecoariam pela brisa até te encontrar no teu silêncio. Ou viajariam, uma a uma, por ordem, nas primeiras folhas de outono. Pediria às folhas de plátano para levarem o teu nome na minha voz. São elas quem melhor me conhece. E sempre gostei de plátanos. Se não te encontrassem perto do mar adivinho-te a nele pensares.
A tarde passou. A noite chegou. Deixei o parque sem te chamar. E agora que as folhas se deitaram, não tenho por quem o chamado enviar.



.

28 comentários:

Apenas eu disse...

As folhas deitaram-se, tu também...
saíste do parque, não enviaste o teu chamado. mas de certeza que foi ouvido...

UM Beijo minha folhinha azul..

Carla Sofia disse...

Uma música belíssima. Amiga,a ausência aperta não é? Eu espero que as folhas de plátano levem a mensagem do teu desejo e cheguem ao seu destino.
beijinhos outonais

pront'habitar disse...

a poesia na prosa.
o fugir da realidade?

hfm disse...

Gosto do que está escrito em cada folha das tuas palavras.

NOCTURNO disse...

Como tudo na vida os sentidos e os dias voltam a renascer e a tua voz chamará mais uma vez.

Beijo nocturno

madame CóCó chinelo disse...

azul,

lembras-me o tempo da minha juventude, em que se podia namorar no parque, ou ver crianças a brincar.

ainda bem que concordas, com a minha citação, é sinal que pertences ao grupo das que não enfraqueceram com as adversidades.

beijo

Maria disse...

Todos os dias há folhas novas no parque. Todas as tardes o podes chamar, pelas folhas dos plátanos. Todas as noites o mar ouvirá o teu chamamento. Disse o mar. Ele, não sei...

Um beijo, em azul e já com saudades de te ler

AnaMar disse...

Há sempre o vento que pode levar o chamado. E ele vai ouvir. E voltar ao vosso parque. Ou a outro.
Bj

Bill Stein Husenbar disse...

O parque ficou coberto na solidão...

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Vera disse...

Gostei e uma frase marcou-me:

"As letras ecoariam pela brisa até te encontrar no teu silêncio."

Muito belo!

Beijinhos azuis

mfc disse...

As folhas caem para regressarem viçosas!

Carla disse...

sentimentos...de outono. Abandono?
beijos

João Videira Santos disse...

Uma memória de palavras na lembrança de alguém...um caminhar de recordações breve e sentido. Gostei.

Violeta disse...

As folhas, o outono e ter alguém a quem chamar...
boa semana

em azul disse...

apenas eu
Tanto eu gostava, Bonequinha!
Muitos parabéns pelo dia de ontem.
Beijo

em azul disse...

Carla
Talvez um dia cheguem... quem sabe?
Ou o destino mude!
Um abraço e obrigada.

em azul disse...

pront'habitar
Não fujo da realidade... acredito que seja ela que se desvia um pouco de mim!

em azul disse...

hmf
Fico contente e agradeço as palavras.
Abraço

em azul disse...

nocturno
Sei que sim... embora me possa calar por uns tempos!
Beijinho

em azul disse...

madame...
As adversidades fazem correr a adrenalina, não é?
Obrigada pela visitas.
Beijo

em azul disse...

Maria da ilha
Será que o mar também é mensageiro?
Calo-me por uns tempos... é melhor!
Um beijo grande

em azul disse...

anamar
Que bom!
Vou aguardar.
Beijo

em azul disse...

bill..
Fica muitas vezes...
Abraço

em azul disse...

vera
Sê bem vinda. Obrigada pelas palavras.
Um beijo

em azul disse...

mfc
... e fazerem um tapete mais acolhedor!
Um beijo

ps - Adoro as fotos e os pensamento do pé de meia

em azul disse...

Carla
Há sempre um espaço de abandono ou será o meu lado nostálgico a refugiar-se nas folhas de Outono?
Um beijo

em azul disse...

João
E esse caminhar quando é sobre folhas é uma excelente companhia... eu e o seu (delas - as folhas) estalar!
Abraço

em azul disse...

Violeta
Neste caso as folhas e o Outono...
Um beijo

Seguidores

Arquivo