21 de fevereiro de 2009


.
Não é aqui que choro.
Aqui coloro as flores de mil tons.
Aqui foco e desfoco as imagens da vida. Aqui dou o meu azul mais vivo, o meu verde mais forte, o meu rubro vermelho, todos os tons de lilás com aroma de jasmim. Para mim as cores têm cheiro e o lilás tem aroma de jasmim, como o azul tem cheiro de mar. Aqui até me atrevo a deixar uma pitada de rosa. A única cor cujo aroma esqueci. Mas eu não vinha aqui falar de cores, vinha falar de amores, de sóis [porque há tantos], de luas, de flores, novamente de amores... mas não queria acabar a falar de ti.
Perdi-te algures no tempo. Perdi-te? Ainda hoje estou para saber se alguma vez nos encontrámos! Cada um grita a sua saudade. Sabe-se lá para quê, ou para quem! Cada um fala de saudades e lágrimas. Que saudades... que lágrimas? Palavras apenas? Cada um sabe de si [se é que sabe] e nada sabe do outro.
Mas não é aqui que choro.
Aqui coloro as flores de mil tons. Aqui foco e desfoco as imagens da vida... a minha vida!
Nesta casa me fiz azul. Não convido ninguém. É convidado quem vier por bem. Só peço que não me tragam lágrimas. E que não reparem nas minhas porque não é aqui que choro...


.







.
Não é aqui que choro.
Aqui coloro as flores de mil tons.
Aqui foco e desfoco as imagens da vida. Aqui dou o meu azul mais vivo, o meu verde mais forte, o meu rubro vermelho, todos os tons de lilás com aroma de jasmim. Para mim as cores têm cheiro e o lilás tem aroma de jasmim, como o azul tem cheiro de mar. Aqui até me atrevo a deixar uma pitada de rosa. A única cor cujo aroma esqueci. Mas eu não vinha aqui falar de cores, vinha falar de amores, de sóis [porque há tantos], de luas, de flores, novamente de amores... mas não queria acabar a falar de ti.
Perdi-te algures no tempo. Perdi-te? Ainda hoje estou para saber se alguma vez nos encontrámos! Cada um grita a sua saudade. Sabe-se lá para quê, ou para quem! Cada um fala de saudades e lágrimas. Que saudades... que lágrimas? Palavras apenas? Cada um sabe de si [se é que sabe] e nada sabe do outro.
Mas não é aqui que choro.
Aqui coloro as flores de mil tons.
Aqui foco e desfoco as imagens da vida... a minha vida!
Nesta casa me fiz azul. Não convido ninguém. É convidado quem vier por bem. Só peço que não me tragam lágrimas. E que não reparem nas minhas porque não é aqui que choro...


.

9 comentários:

mfc disse...

Sabes que também podemos sorrir a chorar?
E tu deixaste-nos aqui mais um lindo sorriso.

Ana Paula disse...

Para mim, as cores também têm um aroma que lhes é próprio.

Adorei a tua variação de coloração florida! E o teu texto tão deliciosamente poético :)

Um beijinho!

Fernanda disse...

Os nossos amores,...aqueles que ganhamos e perdemos,...são esses que nos trazem as cores,...as saudades,...ás vezes as lágrimas...

Mas aqui,...não há saudades nem lágrimas,...aqui é bom haver cores,...rosas e jasmim, um cheiro a perfume sem fim...e eu gosto de vir aqui,...porque, a verdade...
é que cada um sabe de si.

Um beijo

Carla disse...

adorei ler-te, mas acima de tudo fiquei feliz por neste espaço encontrares momentos de calma e de paz...nas cores que desenhas no teu sorriso
beijos

C Valente disse...

bonitas cores, cheios de amores
Saudações amigas

Miosotis disse...

... não sei se o 'rosa' se esquece alguma vez! Afinal o rosa é a cor do amor e o no teu texto, apesar 'de azul' vestido. o rosa reflecte-se...

Um beijo

As Chamas do Fénix disse...

Olá Amiga...

Tens um convite lá no meu ninho... espero que aceites...

Uma Grande Chama para ti... Beijos

•.¸¸.ஐBruneLLa França disse...

Admiro as tuas cores... E adoro as matizes com as quais pintas teu texto... Com ou sem amores!
Beijos e borboleteios

Secret disse...

Também para mim as cores têm cheiros... e tu cheiras a saudade.
Tu escreves o que eu gostaria de ser capaz de escrever. A tua melancolia é incontornavel...mas não é necessariamente má.

Seguidores

Arquivo